segunda-feira, 12 de maio de 2014

Aparição de Nossa Senhora de La Salette

A mensagem e aparição de Nossa Senhora de La Salette aconteceu no dia 19 de setembro de 1846, sábado, a Maximino Giraud, 11 anos e Melânia Calvat, 15, que pastavam vacas nas montanhas perto da aldeia de La Salette, França. Eles tinham se conhecido apenas no dia anterior. À tarde, os dois deitam na relva e cochilam sob o forte calor do verão. Quando acordam, procuram pelas vacas e as encontram reunidas calmamente. De repente, vêem um forte globo de luz, brilhante como o sol na montanha. Quando se aproximam, este globo se abre e dentro dele estava uma linda moça. Ela estava chorando muito, sentada numa pedra, com as mãos na rosto e os cotovelos sobre os joelhos. Nossa Senhora usava um vestido largo e amarelado, um grande avental e lenço na cabeça, como as mulheres da região. Ela tinha rosas na cabeça formando uma coroa e também nos seus sapatos, numa corrente dourada no seu pescoço estava um Crucifixo resplandecente com Jesus Crucificado. De um lado da Cruz, estava um martelo, do outro lado, uma torquês. Jesus parecia vivo naquele Crucifixo, às vezes parecia sofrer, às vezes parecia querer estar ali por amor a nós. A linda Senhora se levanta da pedra e chama as crianças que correm para perto dela. Eles contam: "Nós achamos que Ela era uma Mãe que tinha apanhado dos filhos e tinha ido à montanha para chorar. Ela chorou durante todo o tempo em que nos falou.” Chorando, a Senhora disse: 
“Venham, meus filhos, não tenham medo. Estou aqui para lhes contar uma grande novidade! Se o meu povo não quer se submeter, serei forçada a deixar cair o Braço do meu Filho. Ele é tão forte e está tão pesado e eu não o posso mais segurá-lo. Há tanto tempo eu sofro por vocês... Se não quero que meu Filho os abandone, estou encarregada de lhe pedir por vocês incessantemente. Mas vocês não fazem caso. Por mais que façam, jamais poderão recompensar a aflição que eu tomo por vocês. Dei seis dias para trabalhar e reservei o sétimo. Mas nem isso querem me conceder! É isso que torna tão pesado o Braço de meu Filho. E também os carroceiros que não sabem jurar sem usar o Nome de meu Filho. São essas as duas coisas que tornam seu Braço tão pesado. Se a colheita se estraga, é apenas por sua culpa. Eu lhes mostrei isso no ano passado com as batatinhas. E vocês não fizeram caso! Ao contrário, quando encontravam batatinhas estragadas, juravam usando o Nome de meu Filho. Elas continuarão a se apodrecer neste ano, e no Natal, não haverá mais. Se tiverem trigo, não semeiem. Tudo o que semearem será devorado pelos insetos e o que produzir se transformará em pó ao ser moído. Virá uma grande fome. Antes que a fome chegue, as crianças menores de sete anos serão acometidas de tremor e morrerão entre nos braços das pessoas que as carregarem. Os outros farão penitência por meio da fome. As nozes caruncharão e as uvas estragarão.” Nesse momento, Bela Senhora falou em segredo a Maximino e depois a Melânia. Depois disse aos dois: “Se vocês se converterem, as pedras e rochedos se transformarão em montões de trigo e as batatinhas aparecerão semeadas por toda a terra. Vocês fazem bem sua oração, meus filhos?”  
"Não muito, Senhora", responderam as crianças.  
“Ah, meus filhos, é preciso fazê-la bem à noite e de manhã, dizendo ao menos um Pai Nosso e uma Ave Maria quando não puderem rezar mais. Quando puderem, devem rezem mais. Durante o verão, só algumas mulheres mais idosas vão à Missa. Os outros trabalham no domingo durante todo o verão. Durante o inverno, quanto não sabem o que fazer, vão à Missa apenas para zombar da religião. Durante a Quaresma vão ao açougue como cães. Nunca viram trigo estragado, meus filhos?”  
"Não, Senhora." responderam eles. Então Ela se dirige a Maximo: “Mas você, meu filho, deve ter visto uma vez, perto do Coin, com seu pai. O dono da roça disse a seu pai para ir ver seu trigo estragado. Ambos foram até lá. Ele tomou duas ou três espigas entre as mãos, esfregou-as e tudo caiu em pó. Ao voltarem, quando estavam a meia hora de Corps, seu pai te deu um pedaço de pão dizendo: 'Toma, meu filho, come pão ainda neste ano, pois não sei quem dele comerá no próximo ano, se o trigo continuar assim.'” 
Maximino responde: "É verdade, Senhora, agora lembro. Não lembrava mais." 
E a Bela Senhora diz: “Pois bem, meus filhos, vocês transmitirão isso a todo o meu povo.”  
A Senhora andou alguns passos, se elevou ao Céu e desapareceu. As crianças transmitiram a mensagem nos dias seguintes para todo o povo e a notícia se espalhou. Muitas pessoas foram curadas milagrosamente bebendo água da fonte perto do local das aparições. As batatinhas começaram mesmo a se apodrecer e em dezembro, no Natal, não tinham mais. Isso causou uma grande fome para toda a região. Assim como as uvas e nozes se estragaram trazendo grandes prejuízos econômicos para o país. Muitas crianças realmente adoeceram e morreram. Todos ouviram as crianças anunciarem isso antes de acontecer. E quando aconteceu, viram que as aparições eram autênticas. Elas foram reconhecidas pela Igreja em 19 de setembro de 1851.